Curta-SE divulga selecionados para mostras competitivas do Festival

img_perfil_curtase18

O Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE) selecionou 39 filmes para participar das mostras competitivas. As produções estão divididas em cinco categorias: videoclipe, vídeo de bolso, curtas sergipanos, trailers, curtas ibero-americanos

A escolha de quem vai participar das mostras competitivas é uma parte difícil devido à qualidade do material produzido. “É sempre prazeroso e difícil pelo aspecto da escolha, ver muitos filmes inscritos e de qualidade inestimável.  Para a curadoria é um desafio, ver muitos e selecionar poucos. Ficamos surpresos também com o número de sergipanos. Mas isso é uma consequência da motivação dos realizadores locais em querer produzir mais a cada ano”, explicou Rosângela Rocha, diretora executiva do Festival.

As mostras de longa-metragem e web série deixaram de ter o caráter competitivo passando a ser informativas para priorizar os convidados. Com o tema ‘Afrodite’, o festival acontece de 23 a 27 de julho em Aracaju.

Apoio

Através da Lei de incentivo à Cultura, o Festival tem patrocínio bronze da Seguros Unimed; apoio cultural do Sebrae, Cinema Vitória, Tag.i, Inova Produções, Secult-SE e da Casa Curta-SE. A realização é da AVBR Produções e da Secretaria do Audiovisual/Ministério da Cultura.

Mostras Competitivas

Vídeos de Bolso

8 Patas – Fabrício Eduardo Rabachim, Gabriel Barbosa, Pietro Leonardo Nichelatti Nicolodi; 2018; São Paulo; 2′ 25′; Animação.
311 – Guilherme Cadena; 2016; Curitiba-PR; 4′; Documentário.

 

A Casa dos Poucos – Werden Tavares Pinheiro; 2018; Barra dos Coqueiros/SE; 1′; Documentário.

 

De Quando O Sol Vai Embora – Werden Tavares Pinheiro; 2018; Barra dos Coqueiros/SE; 1′; Documentário.

 

Epigramas – Wayner Tristao; 2018; Petrolina/PE; 4′; Documentário.

 

Sentinelas – Andrei Ferreira da Silva; Itabaiana/SE; 2018; 3′ 12”; Ficção.

 

Te perdi no metrô – Marco T. Alves; 2017; São Paulo; 2′ 55′; Ficção.

 

Voyeur – Túlio Queiroz; 2018; Goiás/GO; 4′ 22”; Ficção.

 

Videoclipes

Além dos Meus Lençóis – Tonho Crocco; Flávio Costa; 2017; Porto Alegre/RS; 2′ 48”.

 

DANCERS Xará – Camila Marquez; 2017; São Paulo; 3′ 56”.

 

Mantre – Sem Razão; 2017; Rafael Alves Gomes Santos; Aracaju/SE; 4′ 58”.

 

Aracaju 163 Anos – Fabio Jaciuk; 2018; Aracaju/SE; 2′ 23”.

 

The Frozen Throne – Iván Ledesma; Madri/Espanha; 3′ 39”.

 

Trailers

 

90 – 60 – 90; Bárbara Medina de Francisco; 2017; Madri/Espanha; 1′ 51′; Ficção.

 

Por Conta da Casa – Flávio Costa; 2017; Porto Alegre/RS; 36”; Ficção.

 

Curtas Sergipanos

 

Atrás de Você – Andrei Ferreira da Silva e Matheus Dantas Gonçalves; 2018; Itabaiana/SE; 7′ 32”; Ficção.

 

Cidade Grande – Kauam Matos Marques Pereira; 2017; Aracaju/SE; 11′; Ficção.

 

De Quando o Sol Vai Embora – Werden Tavares Pinheiro; 2018; Barra dos Coqueiros/SE; 1′; Documentário.

 

Mudando de Vida – Robson dos Santos; 2017; Aracaju/SE; 12′ 27′; Ficção.

 

Ocupe a Cidade – Thaís Ramos e Kaippe Reis; 2017; Aracaju/SE; 20′; Documentário.

 

Só Sucesso – José Augusto Alves dos Anjos Santos; 2017; Aracaju/SE; 13′ 41′; Ficção.

 

Curtas Iberoamericanos

 

8 Patas – Fabrício Eduardo Rabachim, Gabriel Barbosa, Pietro Leonardo Nichelatti Nicolodi; 2018; São Paulo

2′ 25”; Animação.

 

Ana – Vitória Felipe; 2017; Santos/SP; 16′ 33”; Ficção.

 

A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina – Tiago Ribeiro; 2017; Belém/PA; 7′ 36”; Animação.

 

Estigma – Levi Elionai; 2017; Santos/SP; 8′ 42”; Documentário.

 

FotogrÁfrica – Tila Chitunda; 2016; Olinda/PE; 25′ 35”; Documentário.

 

Kátharsis – Mirela Kruel; 2017; Porto Alegre/RS; 18′ 36”; Ficção.

 

Metamorfose – Jane Carmen Oliveira da Silva; 2017; Pedro Leopoldo/MG; 5′ 22”; Animação.

 

Minha Mãe, Minha Filha – Alexandre Estevanato; 2018; São José do Rio Preto-SP; 16′ 06”; Ficção.

 

Mulheres de Fogo – Vinicius Meireles; 2017; Recife/PE; 12′ 46”; Documentário.

 

O Malabarista – Iuri Moreno; 2018; Goiânia/GO; 10′ 55”; Animação.

 

Silêncio – Bianca Rêgo; 2016; Mogi das Cruzes/SP; 18′; Documentário.

 

Solito – Eduardo Reis; 2017; Porto Alegre/RS; 4′ 56′; Animação.

 

Telentrega – Fernando Pazin; 2017; Alicantes/Espanha; 10′ 20”; Ficção.

 

Vaca Parida – Diogo Cronemberger; 2016; Pinheiros/SP; 17′ 33”; Ficção.

 

Vidas Cinzas – Leonardo Martinelli; 2017; Rio de Janeiro/RJ; 15′; Ficção.

 

A Chegada – Kiko Prada; 2017; Madri/Espanha; 3′ 30”; Ficção.

 

Ámome – María Pulido, Alba Capilla; 2017; Valencia/Espanha; 3′ 49”; Animação.

 

Negra Soy – Laura Bermúdez; 2017; Madri/Espanha; 12′ 30”; Documentário.

 

Chocatos – Diego Alejandro Romero Afanador; 2018; Guanentá/Colômbia; 10′; Ficção.

 

Areka – Begoña Vicario; 2017; Espanha; 6′ 35”; Animação.

Share Button

Comentários

scroll to top